segunda-feira, janeiro 24, 2011

, ,

Utopia




Ás vezes queria não sentir.

Não querer.
Não precisar.
Não desejar.
Não ter que escolher.
Encontrar sem procurar.




Viver sim mas de uma forma desprendida,onde as mais pequenas coisas fossem suficientes para me preencher,para me realizar e trazer aquela sensação de ter alcançado o objectivo.
Onde conseguisse ocupar a mente e o coração sem sobrar espaço para mais nada,sem exigencias impossiveis nem sonhos irreais.
Sem vontades dificeis de satisfazer nem metas inalcansáveis.
Gostava que existisse uma realidade onde o ar que respiramos,a visão do mar e o calor do sol fosse o bastante para me sentir feliz,despreocupado,estável.
Um estado de espirito que nem de vez em quando fizesse as ocasionais lagrimas quererem escorrer.
Não que fosse sempre assim,com tudo descomplicado e de mão beijada.Não precisava ser fácil mas bastava ser menos duro e exigente.
As coisas que aspiramos para nos próprios,aquilo que buscamos,vezes sem conta poderão ser vistos como objectivos e metas mas muitas vezes será ao mesmo tempo algo que nos vai condenar e condicionar para sempre,porque corremos o risco de procurar e nunca encontrar,de estar sempre um passo atrasados,como um cão a correr atras da cauda.
Virar á direita quando deviamos ter virado á esquerda,ir para lá quando deviamos ter vindo para cá,um A quando deviamos ter usado um B e todas estas escolhas terem que ser feitas sem rede de proteção no caso de nos enganarmos.
Numa vida normalmente longa,bem que alguns dias podiam ser assim,simples e com margem de erro,sem precisarmos de nos alimentar de sentimentos e sensações,sem termos necessidade de tocar e ser tocados,de sentir,de partilhar,de dar e receber.
Sem precisarem de ser mágicos todos os momentos com verdadeiro significado.


Não sei diminuir o desejo,a imagem perfeita,o sonhar acordado,a ordem das coisas que fazem sentido e trocá-las por outras diferentes.
Não sei ligar o piloto automatico,colocar a mente a hibernar,assobiar para o lado até que tudo isto seja real,possivel,palpável,recompensador.


Acredito que tudo isto não seja uma Utopia.
Tenho que acreditar.
Talvez seja suposto o puzzle ficar sempre incompleto....

0 Comentários:

Com tecnologia do Blogger.