terça-feira, junho 12, 2012

, , , , , ,

Primavera no Paraiso

Recuperado, depois de dormir quase 13 horas seguidas, vou tentar resumir estes 3 dias passados na bonita cidade do Porto, mais precisamente no Optimus Primavera Sound.
As fotos são retiradas da internet, porque como sempre levo máquina mas depois não tenho pachorra para andar a tirar fotos e a preocupar-me com a máquina e só me apetece curtir :)

As minhas expectativas eram altas, não só pelo cartaz "recheado" de bandas que adoro (mesmo com o cancelamento da Bjork e dos Explosions in the Sky) mas também pelo facto de ser a 1ª edição em portugal de um festival bastante conceituado que já acontece á varios anos na vizinha espanha, mais propriamente em barcelona.
A ideia é de fazer um festival com a chamada música "alternativa" onde a parte comercial e de marketing não seja impingida e atirada ás pessoas como acontece na maioria dos outros festivais, sem rodas gigantes nem montanhas russas para distrair as pessoas daquilo que realmente interessa, a Música.
Outra das novidades anunciadas que depois pude constatar com toda a certeza foi o facto de mais de metade dos bilhetes vendidos terem sido comprados por estrangeiros e em certas alturas á minha volta só se falava inglês, italiano e espanhol.


O local escolhido não poderia ser melhor: o parque da cidade do Porto, que não conhecia, é um pequeno (grande) pedaço de paraiso situado nos limites da cidade, muito perto de matosinhos.
Que previlegio ter um parque assim numa cidade cosmopolita e movimentada como é o caso do porto.
Eram 4 palcos espalhados por entre arvores e arbustos verdes, num ambiente idilico onde apenas a areas das comidas e um dos palcos era cimentado.
Apesar da area ser grande (o festival não chegou a ocupar metade do parque) tudo parecia estar perto e acessivel sem termos de andar quilometros de um sitio para outro.


A venda de bilhetes estava limitada a 25 mil por dia e talvez tenha sido esse o segredo da organização, já que pela primeira vez num festival (e olhem que tirando Paredes de Coura, já fui a todos os outros por mais que uma vez) quase não existiam filas, nem para comer, nem para beber, nem para fazer as habituais necessidades :)
Mesmo não havendo parque de estacionamento especifico para o festival todos os dias arranjámos lugar perto para estacionar.
A entrada foi feita sempre sem complicações, só demorando um pouco no 1º dia na troca do bilhete pela habitual pulseira.
Uma palavra de apreço também para os seguranças, simpaticos e "humanos", compreensivos com os habituais excessos que acontecem nestes eventos, coisa pouco vista em portugal.


Tive uma grande sorte com o tempo que se anunciava chuvoso para os 3 dias mas afinal só no último dia a chuva apareceu e foi comentado muitas vezes que os deuses deviam estar do nosso lado e não quiseram estragar uma coisa tão boa.
Chegou a uma certa hora onde já existia alguma lama em algumas zonas do parque mas nem isso nem a chuva na cara conseguiu tirar o prazer de ali estar naquele momento.
Em alguns momentos a palavra Woodstock veio-me á cabeça, talvez no momento em que vi varias pessoas descalças a dançar na lama, com um grande sorriso nos lábios.


A qualidade de som estava ao melhor nivel a que já assisti em portugal e fiquei pasmado com o facto de onde quer que estivesse colocado na zona dos palcos o som era sempre claro e cristalino.A forma de anfiteatro que os dois palcos principais tinham não eram alheios a esse facto e a acustica era excelente.
Como podem ver não escrevi nada sobre as bandas, os concertos e os artistas e fi-lo de proposito já que depois de tudo o que li sobre as actuações e de ver tantas opiniões dispares parece que cada pessoa esteve num festival diferente.
Isso é normal já que se tratam de gostos pessoais e como se costuma dizer gostos não se discutem.
Ao mesmo tempo este é o meu blogue e como tal fala das coisas que EU gosto ou não gosto e assim sendo posso dizer que gostei bastante e sem ordem especifica de Neon Indian, M83, The Drums, The Rapture, The Weeknd, Washed Out e Rufus Wainwright, mas ficarão para sempre guardados na minha memoria os concertos dos Beach House (que deviam ter tocado no palco principal a julgar pela quantidade de gente que os foi ver) e claro, dos magnificos XX, tendo estes encerrado o palco principal no último dia do festival e causado-me arrepios dos quais ainda não recuperei nem quero recuperar :)


No final do 1º dia foi anunciado pela organização a realização do festival em 2013 no mesmo sitio e só para verem o quão bom foi digo já que "já la estou", mesmo sem se saber ainda uma única banda para o cartaz.
Se for pelo menos igual a este será concerteza um dos melhores festivais da minha vida, género Primavera no Paraiso.
Agora não contem a ninguem e guardem bem o segredo, para ver se conseguimos manter este pequeno paraiso :)

6 Comentários:

Ritinha disse...

Parece ter sido mesmo fixe :D
Ainda bem que te divertiste!

Beijinho

MissMary disse...

Muito,muito bom :)

beijos

Rosie disse...

:( Eu não fui. Estou em época de exames. Mas o meu irmão foi os dias todos e chegou a casa assim.

Primeiro, só por ser na bela cidade do Porto já diz tudo :) E o parque da cidade é dos sítios mais bonitos que temos e ideal para estes festivais.
O cartaz era grandioso e vou ficar sempre com a mágoa de que não vi XX pela segunda vez no Porto.

May Pacheco disse...

Cancelar Bjork, isso é um crime... haha eu sempre faço o mesmo que você, levo a câmera e acabo por não tirar fotos... penso só em divertir-me... \o/ e és o primeiro seguidor do meu novo blog. Fiquei deverás contente. Obrigado.

Super Sónia disse...

isto faz-me sentir pobre

Shiver disse...

Agora estava a ver quem era esta super sonia lol.

só tu para escreveres num blog parado há mais de 6 meses :)

em relação ao tema,para deixares de ser pobre vê se vais á edição deste ano.
Já tenho bilhete e ainda só anunciaram Blur :P

Com tecnologia do Blogger.